O Instituto de Acção Social das Forças Armadas
Menu Lateral

Centro de Apoio Social de Évora (CASE)

CAS EvoraBloco Apartamentos CAS Évora

Síntese Histórica

Em 19 de Novembro de 1980, iniciou-se a atividade da Delegação de Évora dos SSFA, instalada em dependência do “Quartel 28 de Maio”, ex-RAL3.

Em 15 de Abril de1992 são aprovadas as normas das Delegações do Serviço.

Em 3 de Setembro de 1982, é colocada a primeira Assistente Social na Delegação de Évora. Mês em que se dá início ao Serviço Psicossocial e Sócio Económico, para apoio aos Beneficiários da Região Sul, cujo Serviço Social era feito através da Sede.

Em Março de 1983, iniciam-se na Delegação de Évora as atividades Culturais e Recreativas (passeios e convívios).

Em 20 de Abril de 1992, o Presidente dos SSFA, atribuiu às Delegações do Serviço, a missão, em que através destes órgãos se procuraria a descentralização dos Serviços Centrais.

Por o Exército ter vendido à Universidade de Évora o “Quartel 28 de Maio”, foi, em 2 de Outubro de 1992, adquirido o edifício na Rua Mestre Resende nº 5 para instalar a Delegação dos Serviços Sociais, efetivando-se a inauguração em 21 de Setembro de 1993.

Em 1995 com a criação do Instituto de Ação Social das Forças Armadas (IASFA), que substituiu os Serviços Sociais das Forças Armadas (SSFA). As Delegações dos SSFA assumem a designa&ccedilão de Centros de Apoio Social.

Nesta data nasce o Centro de Apoio Social de Évora (CASE).

Em Janeiro de 2002, foi admitida uma segunda Assistente Social, esta em regime de prestação de serviços, para apoio aos Beneficiários da área de intervenção.

Em Outubro de 2003 é celebrado de um protocolo de cooperação com a Universidade de Évora no âmbito dos Estágios de Psicologia Clínica, tendo-se iniciado o 1º Estágio de Psicologia Clínica em Novembro do mesmo ano.

Área de Intervenção

O CASE desenvolve as suas atividades numa área de intervenção de 28.737 Km2 abrangendo 4 (quatro) Distritos a Sul do País:

Trata-se de um universo muito disperso, com múltiplas doenças, limitações físicas e psíquicas, carências económicas e afetivas que conduzem à depressão, à ansiedade, à solidão, ao isolamento e à sensação de abandono. É sobre este universo de pessoas mais carentes que o CASE exerce em especial a sua atividade de apoio social complementar, razão de ser da sua Missão.

Missão

A missão do CASE, deduzida do Art.º 3 do Estatuto do IASFA, visa assegurar, aos Beneficiários Titulares (BT's) e Familiares (BF's), residentes na sua área de intervenção, prestações no campo da ação social complementar, nomeadamente:

  • Apoio a idosos e deficientes;
  • Apoio a jovens estudantes e crianças;
  • Apoio socioeconómico em situações gravosas e urgentes;
  • Execução de atividades ocupacionais e de animação sociocultural.

Veja aqui algumas

atividades do CAS Évora

Para cumprir a sua Missão, orientada para um universo de pessoas muito dispersas e carentes, numa área que é vasta e com características demográficas e socioeconómicas muito especificas, o CASE adotou uma organização interna funcional e flexível, por forma a dar resposta rápida, eficiente e eficaz às situações mais prementes, dispondo, para o desenvolvimento das suas atividades, de recursos humanos altamente empenhados, que sabem: o lugar que ocupam, o que, como e quando fazem e para quem.

Atividades

As atividades desenvolvidas pelo CASE, centram-se na área do apoio social complementar e são dirigidas aos BT´s / BF´s mais necessitados.

Elas não se circunscrevem apenas ao edifício Sede, executam-se, isso sim, no terreno, em trabalhos de campo, no contacto direto com os beneficiários.

A orientação do esforço, nesta vertente de apoio social, tem visado a consolidação dos contactos e do diálogo com os beneficiários, o conhecimento das suas preocupações e dos seus problemas, o encontrar as melhores soluções para esses problemas, dar-lhes a conhecer as potencialidades da Instituição e dizer-lhes que estamos com eles e que trabalhamos para eles.

Para o efeito estabeleceu-se uma rede constituída por Beneficiários mais ativos e intervenientes, disseminados pela área geográfica de intervenção, que, funcionando como antenas do CAS nas suas regiões, facilitam o contacto com os Beneficiários aí residentes através da realização de reuniões de esclarecimento.

No fundo, criar laços de amizade, de confiança e de solidariedade com os Beneficiários, tem sido um caminho percorrido com muita determinação e empenho.

Assume especial importância na execução das atividades de apoio social complementar:

Colabora com a Divisão de Infra Estruturas (DIE), no âmbito do parque habitacional, em termos de gestão da manutenção, da ocupação dos fogos e ligação com as Conservatórias de Registo Predial.

Parque Habitacional

Bloco A de Apartamentos em ElvasBloco B de Apartamentos em Elvas

Para além do edifício sede do CAS, existem na sua área geográfica de intervenção os Blocos Habitacionais de Évora e Elvas.

Os Blocos Habitacionais de Évora, prédios urbanos constituídos por 6 fogos cada, com quintais e logradouros, foram construídos em 1955/56 e localizam-se na Av. São João de Deus, nos nºs 10, 12 e 16.

Os Blocos Habitacionais de Elvas (Bloco A – Av. D. Nunes Álvares Pereira e Bloco B – Av. Infante D. Henrique), são prédios urbanos com 6 e 7 fogos, respetivamente, ambos com logradouro e foram construídos em 1973.

Rua Mestre Resende, 5    7000-611 ÉVORA
Telefone 266 743 527 - Fax 266 743 527 E-mail do CASE
           Serviço Social 266 741 304